Atuar no lugar do seu dia a dia com o mundo nas mãos
para fazer do mundo uma só família no amor!

"Os cristãos leigos são homens e mulheres da Igreja no coração do mundo,
homens e mulheres do mundo no coração da Igreja!" (PUEBLA 789)

sábado, 14 de maio de 2016

VEM ESPÍRITO SANTO ILUMINAR

LEIGOS MISSIONÁRIOS XAVERIANOS
ENCONTRO DE FORMAÇÃO EM PIRACICABA – NÚCLEO SÃO PAULO
DIAS 30/04 e 01/05/2016

Local: Paróquia Imaculado Coração de Maria

Presentes: Leigos de Piracicaba, Hortolândia e Ourinhos

Tema: Ano Santo da Misericórdia - Abertura da Porta Santa

O Celso (Piracicaba) iniciou o encontro no dia 30/04 às 15h com uma oração e a leitura da palavra de
Deus, em seguida o Paulo (Ourinhos) fez uma esplanação sobre o objetivo do encontro.
O Pe. João Bortoloci (Piracicaba), acessor do encontro, fez uma palestra sobre o Ano Santo da Misericórdia e a Abertura da Porta Santa, onde podemos conhecer o significado da indulgência, as obras de misericórdias corporais e espirituais e tambem refletimos vários discursos de São Guido e percebemos que estão em comunhão com os dias atuais.
Após uma pausa para o café, às 17h fizemos uma pequena peregrinação do local do encontro até à Paróquia Imaculado Coração de Maria, onde tivemos a
graça de passar pela Porta Santa e em seguida fizemos uma hora de adoração e oração pessoal, em silêncio.
Às 19h participamos da Santa Missa, presidida pelo Pe. João, após a comunhão os Leigos foram apresentados à comunidade.
Após a missa iniciou o “Jantar com Maria”. Antes da refeição ser servida foi apresentado uma reflexão em forma teatral sobre Maria, preparada pelo Pe. Humberto Vega e os jovens da paróquia.
No domingo, dia 01/05 iniciamos às 08h com um café da manhã, às 08h30 nos reunimos e após a oração inicial nos dividimos em três grupos para conversarmos sobre as regras de vida dos Leigos Missionários Xaverianos. Após uma hora de reunião nos grupos, cada representante expos na plenária aquilo que foi discutido e as propostas de cada grupo. Será feito um resumo dessas propostas e debatidas na Assembleia Nacional, em Coronel Fabriciano-MG, no mês de novembro de 2016.
Também conversamos sobre a Assembleia Nacional, Pe. João e Artidonio
apresentaram a cotação de um ônibus executivo, com dois motoristas (R$ 8.600,00) que foi aprovada por maioria absoluta.
Uma parte da arrecadação do “Jantar com Maria” (50%) serão destinadas ao Grupo dos Leigos, para ser investido na Assembleia. O Grupo de Hortolândia irá vender pizzas em agosto, com a mesma finalidade.
Com a benção final e um almoço o encontro foi encerrado.
Obrigado a todos da Paróquia Imaculado Coração de Maria pela acolhida, pelas refeições e ótima organização do encontro.

   ENCONTRO DOS LEIGOS/AS
MISSIONÁRIOS/AS XAVERIANOS/AS
ESTADO DE SÃO PAULO
ANO SANTO  DA MISERICÓRDIA - ABERTURA DA PORTA SANTA
O Papa Francisco anunciou o Jubileu da Misericórdia, um Ano Santo Extraordinário, instituído por ele e que terá como centro a misericórdia de Deus. O Jubileu da Misericórdia é extraordinário, e seu início foi no dia oito de dezembro, dia da Imaculada Conceição. O encerramento do Ano Santo será no dia 20 de novembro de 2016: “Decidi convocar um Jubileu Extraordinário que tenha o seu centro na misericórdia de Deus. Será um Ano Santo da misericórdia”.
SIGNIFICADO DA INDULGÊNCIA
“Apesar do perdão, carregamos em nossa vida as contradições que são consequências dos nossos pecados. No sacramento da Reconciliação, Deus
perdoa os pecados, que são verdadeiramente apagados; mas as marcas negativas que os pecados deixaram nos nossos comportamentos e pensamentos permanece. A misericórdia de Deus, porém, é mais forte também do que isso. Ela torna-se indulgência do Pai que, através da Esposa de Cristo, a Igreja,  alcança o pecador perdoado e liberta-o de qualquer resíduo das consequências do pecado, habilitando-o a agir com caridade, a crescer no amor em vez de recair no pecado. Portanto viver a indulgência no Ano Santo significa aproximar-se da misericórdia do Pai, com a certeza de que o seu perdão cobre toda a vida do crente. A indulgência é experimentar a santidade da Igreja que participa em todos os benefícios da redenção de Cristo, para que o perdão se estenda até às últimas consequências aonde chega o amor de Deus.” (O Rosto da Misericórdia nº.22).

CONDIÇÕES PARA RECEBER A INJULGÊNCIA PLENÁRIA
O Papa Francisco exorta a que “Vivamos intensamente o Jubileu, pedindo ao Pai o perdão dos pecados e a indulgência misericordiosa em toda a sua extensão” dando os seguintes passos:
1)    Peregrinação até a uma Porta Santa.
2)    Passar pela Porta Santa que é o próprio Jesus Cristo (cf. João 10,7).
3)    Arrependimento e confissão de seus pecados.
4)    Participar da Santa Missa.
5)    Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória nas intenções do Papa.
6)    Fazer meia hora de adoração ao Santíssimo ou rezar um terço
7)    Praticar as obras de misericórdia espirituais e corporais como realização da missão de Jesus de levar uma palavra e um gesto de consolação aos pobres, anunciar a libertação a quantos são prisioneiros das novas escravidões da sociedade, devolver a vista a quem já não consegue ver porque vive curvado sobre si mesmo...

OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS E ESPIRITUAIS
a)   São obras de misericórdia corporais
1)    Dar de comer aos famintos
2)    Dar de beber aos sedentos
3)    Vestir os nus
4)    Acolher os peregrinos
5)    Dar assistência aos enfermos
6)    Visitar os presos
7)    Enterrar os mortos
b)                  São obras de misericórdia espirituais
1)    Dar bons conselhos aos que necessitam
2)    Ensinar os que não sabem
3)    Corrigir os que erram
4)    Consolar os aflitos
5)    Perdoar as ofensas
6)    Suportar com paciência as fraquezas do próximo
7)    Rezar pelos vivos e defuntos

ABERTURA DA PORTA SANTA

Eis alguns significados da Porta Santa.
1)    Jesus é a porta (cf. Jo 10,7). Quem entra por mim será salvo. Eu vim
para que todos tenham vida, e a tenham em abundância. Passar por esta porta significa mudar de vida, buscar uma conversão mais profunda, crescer na santificação, acolher Jesus Cristo em nossa história. Ele mesmo está à porta do nosso coração e bate (cf. Apoc. 3,26).
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: Vocês são chamados a escrever suas páginas e eu faço votos que, com a graça de Deus, sejam páginas radiosas da fecundidade da caridade de Cristo. Vocês não são empurrados pelo amor de glória humana, pela cobiça das riquezas terrenas, pelo desejo de visitar novas terras, novos povos e costumes. É a caridade de Cristo que nos impulsiona, eis a sua senha; eis a síntese de suas aspirações.  (22º. Discurso 27/09/1931  )

2) A porta da paz: O Profeta Miquéias  faz uma profecia de Jesus:
apascentará o seu povo com a força do Senhor, que as pessoas viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até os confins da terra e ele mesmo será a Paz (Miquéias 5,1-4a).
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: «O primeiro Jubileu universal, fonte perene de todos os outros, foi trazido para nós, do Céu, pelo próprio autor da vida: Jesus Cristo, filho de Deus que, pela boca do Profeta, assim anunciava a nossos pais: O Espírito do Senhor pousou sobre mim, e me consagrou com sua santa unção, para que eu anuncie aos humildes a sua palavra e cure quem tem o coração oprimido pela dor, liberte os escravos e dê a liberdade aos detentos nos cárceres e proclame o ano de graça do Senhor. (Proclamação do Ano Santo em 1925)

3)    A porta da humildade, do diálogo e do serviço. Maria, mulher humilde, dialoga com o anjo, com Deus. Sabe acolher, sabe ouvir, entrar em comunhão
e servir. O papa Francisco pede para nós promovermos  a“cultura do diálogo”. O diálogo profundo nos leva a servir. Ao entrar no mundo, segundo a Carta aos Hebreus que ouvimos, Cristo afirma: “No Livro está escrito a meu respeito: Eu vim ó Deus, para fazer a tua vontade. (Hebreus 10,7)
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: Irmãos e filhos caríssimos, perdoai-me pela ousadia e permiti que vos diga que fareis obra altamente merecedora  aos olhos do Senhor se, em virtude do Santo Jubileu, tiverdes em conta vossa caridade também para com os longínquos irmãos da China, que olham para vós com o coração cheio de confiança e esperança. O Senhor nos ensina, nos livros inspirados, que a caridade cobre as multidões dos pecados e faz encontrar misericórdia e perdão a seus olhos.» (1924, 25 de dezembro, Parma – Catedral, Homilia “O Jubileu”; FCT 27, 172-173)

4) A porta do encontro,  da hospitalidade e da alegria: No encontro das
duas mães, quanta hospitalidade e as crianças pulam de alegria. Precisamos aprender abrir estas portas. Quantas portas blindadas, trancadas, fechadas, cerradas. Quanto medo, isolamento, separação, distância que precisam ser superadas. É necessário abrir as portas da hospitalidade, das fronteiras, dos condomínios, dos edifícios, das casas, dos hospitais, das repartições públicas, dos presídios, das Igrejas para ver o lado de fora e ir ao encontro dos irmãos e irmãs. (como está a porta da sua vida, da sua moradia?
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: “Nunca esqueçam que vocês foram escolhidos para ser luz do mundo, o sal da terra e que vocês serão o que vocês são antes pelo testemunho e depois pela doutrina seguindo os passos de Cristo. E desta forma vocês podem transmitir aos povos que receberam o dom da fé:“sejam imitadores nossos como nós imitamos Jesus Cristo, caminhem de acordo com a vida que vocês aprenderam conosco. ( 4º. Discurso 25/01/1907

 5)    As portas da justiça. O tema escolhido para a Campanha é “Casa comum, nossa responsabilidade”, e o lema, “Quero ver o direito brotar
como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24). Acreditamos que um mundo de justiça e direito precisa ser construído assim: coletivamente, somando as criatividades, os talentos e as experiências em benefício do bem comum.
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: “Vocês, ricos e proprietários, capitalistas que considero, igualmente, como meus filhos caríssimos em Jesus Cristo, nunca se esqueçam de que os operários de suas oficinas, os trabalhadores de seus campos são seus irmãos, porque filhos de um mesmo Pai, redimidos a um mesmo preço e destinados a uma mesma glória, portanto, vocês devem considerá-los e tratá-los como tais. Nunca se esqueçam que esta fraternidade impõe a vocês graves obrigações, cujo esquecimento gera o desequilíbrio social, e o descontentamento geral, que produz, em seguida, a reação”. (1908, 25 de março, Parma – Catedral. Discurso de posse; FCT 15, 357)

      6)    A porta da fé (cf. Atos 14,27). Esta é a “porta das portas” que
Adicionar legenda
introduz na vida de comunhão com Deus e permite a entrada na Igreja, isto é, a porta do batismo. Atravessar esta porta implica embrenhar-se num caminho que dura a vida inteira. Os sacramentos, a participação ativa da vida da comunidade.
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: Tenham antes de mais nada uma fé viva em seu guia divino. A fé dê forma a todos os pensamentos, aos afetos e às suas obras. Tenham, também, a caridade recíproca. Esta amarre estreitamente entre si os seus corações e una-os num só coração e numa só alma... Assim, formarão uma força invencível, capaz de derrubar todas as armadilhas de seus inimigos. E estejam sempre intimamente unidos a Jesus como o ramo está unido à videira. ( 17º. DISCURSO :11/03/1928)

      7)   A “Porta da Misericórdia”. O Papa Francisco convida-nos a ter coragem para passar por esta porta:  "Sede, pois, misericordiosos,
como também vosso Pai é misericordioso." (Lucas 6,36).  Lembremos que Deus, em sua misericórdia, não se cansa de nos acolher de braços abertos, pois a porta do seu coração está sempre aberta.
SÃO GUIDO MARIA CONFORTI: Que todas as portas se abram ao perdão e à misericórdia do Senhor, e que todos os caminhos se abram ao arrependimento dos corações. Um tempo de completo perdão, no qual o Sangue do Cordeiro divino faz ecoar mais alto, em favor dos homens, seu amoroso grito; um tempo em que as fontes da graça fluem com mais abundância, os caminhos do Céu tornam-se mais fáceis, os braços do Pai Celestial estendem-se em direção aos filhos pecadores com maior ternura e, de certo modo, a Justiça Divina se retira para dar espaço à bondade que abençoa e perdoa (Proclamação da abertura do Ano Santo de 1925)

Jesus é a porta (Jo 10,7). Quem entra por mim será salvo. Eu vim para que
todos tenham vida, e a tenham em abundância. Passar por esta porta significa mudar de vida, buscar uma conversão mais profunda, crescer na santificação, acolher Jesus Cristo em nossa história. Ele mesmo está à porta do nosso coração e bate (Apoc. 3, 26)

Aos leigos xaverianos do Brasil e do mundo inteiro vai o nosso abraço e que a festa do Espírito Santo, Pentecostes, nos faça cada vez mais unidos e comprometidos em fazer do mundo uma só família.


Leigos Missionários Xaverianos do Estado de S. Paulo

sábado, 23 de abril de 2016

MISSIONÁRIOS XAVERIANOS

ESTÁGIO VOCACIONAL

“PARA JOVENS CAPAZES DE AMAR COMO JESUS AMOU”


Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”. (João 13,34-35)


QUANDO? Nos dias 13 a 15 de maio de 2016.
ONDE? Em nossa comunidade de filosofia em Curitiba – PR

Fale comigo!

joaobortoloci@bol.com.br

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Uma reflexão sobre a Quaresma

Nós, cristãos, precisamos de um tempo para refletir sobre nossa fé e sobre nosso papel como cristãos leigos discípulos e missionários nos dias de hoje. A Quaresma, anualmente, nos proporciona a oportunidade de exercermos intensamente o amor fraterno como meio de conversão, a fim de alcançarmos a misericórdia. São quarenta dias que temos para nos aproximar mais intimamente de Deus por meio da oração, da penitência e da caridade. Mas o tempo Quaresmal é, ainda, mais do que isso, é um tempo para nos voltarmos para dentro de nós mesmos avaliando e refletindo sobre nossas atitudes do dia a dia, nosso relacionamento com a família, com os amigos, com os colegas de trabalho, com a/as comunidade/s em que estamos inseridos, sobre a nossa Casa Comum.
Muitas vezes me pergunto: o que estou fazendo, de fato, como cristão? Como estou contribuindo para difundir a minha crença para outros que não creem? Tenho sido útil à minha Igreja? O que a minha Igreja espera de mim? Sou uma Igreja em saída, como quer o Papa Francisco? Quais são as amarras que me impedem de enxergar o Cristo no outro? Consigo perdoar o outro como Deus me perdoa? Quando nos damos conta de que já se passaram mais de dois mil anos da passagem d'Aquele que morreu para nos salvar de nossos pecados, para redimir e dar novo rumo à humanidade e tão pouco fizemos e fazemos para merecer o amor e a misericórdia de Deus! E por mais que nos esforcemos, parece que não conseguimos nos desvestir de nossa carapaça humana para pensar, antes de nós, no outro. Poucos na história foram capazes de abrir mão de sua individualidade em prol da coletividade, em prol dos mais pobres e necessitados, dos desvalidos de saúde, família, amor, dinheiro, das condições mínimas de sobrevivência. Verdadeiras vítimas do capitalismo perverso!
Todos somos miseráveis porque somos injustos, egoístas, infiéis, por isso não podemos perder esta oportunidade que este tempo da Quaresma, do Ano Jubilar da Misericórdia e da Campanha da Fraternidade estão nos proporcionando, tempo de acreditar no Deus que é todo misericórdia. Nosso Pai estará sempre de braços abertos para nos receber, tal qual o filho pródigo. Sejamos verdadeiramente conscientes ao acreditar que nossas vidas serão norteadas pela aproximação com o Jesus crucificado, só Ele é o caminho que nos levará a Deus. Acreditar que com a misericórdia de Deus podemos nos converter. As orações deste tempo nos fazem mais fortes, colocam freios em nossas atitudes e pensamentos. É tempo de olhar com amor para dentro de nós, e nos perdoar. É tempo de enxergar o Cristo no outro. É tempo de preparar um terreno fértil para as sementes que vamos plantar nos corações dos pobres, miseráveis e excluídos. É tempo de acabar com a degradação social.
Esta reflexão nos remete ao tema da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem um caráter de ecumenismo, já que assumida em conjunto com o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC). O seu tema é “Casa comum, nossa responsabilidade”, ressaltando a justiça e o direito ao saneamento básico para todos, num agir ecumênico.
Como leigos missionários xaverianos, qual nosso propósito quaresmal para a globalização da solidariedade? Impulsionados e com grande ardor missionário, voltemos nosso olhar para as palavras de São Guido Maria Conforti: devemos ter um “Espírito de fé viva que nos leva a “ver Deus, amar Deus, procurar Deus em tudo, aguçando em nós o desejo de propagar em toda parte o seu Reino” (cf. LT 10).”


Cecília Macedo e Maria Angélica Kroetz Kovalhuk

Fontes: Carta Encíclica do Sumo Pontífice Francisco “Laudato Si’ Louvado Sejas, subsídio da Campanha da Fraternidade 2016, O nome de Deus é misericórdia de Andrea Tornielli e Constituição dos Missionários Xaverianos