Atuar no lugar do seu dia a dia com o mundo nas mãos para fazer do mundo uma só família no amor!

"Os cristãos leigos são homens e mulheres da Igreja no coração do mundo, homens e mulheres do mundo no coração da Igreja!" (PUEBLA 789)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

MISSÃO XAVERIANA NA COLÔMBIA


Histórico e contexto social-político da Colômbia



Colômbia, oficialmente República da Colômbia (em espanhol: República de Colômbia), é uma república constitucional do noroeste da América do Sul. A Colômbia faz fronteira a leste com a Venezuela e Brasil; ao sul com o Equador e Peru; para o norte com o Mar do Caribe, ao noroeste com o Panamá; e a oeste com o Oceano Pacífico.



A Colômbia também tem fronteiras marítimas com a Venezuela, Jamaica, Haiti, República Dominicana, Honduras, Nicarágua e Costa Rica. Com uma população de mais de 45 milhões de pessoas, a Colômbia tem a 29ª maior população do mundo e a segunda maior da América do Sul, depois do Brasil. A Colômbia é o terceiro país mais populoso com a língua espanhola como idioma oficial (depois do México e Espanha), e tem a quarta maior comunidade de língua espanhola no mundo depois do México, Estados Unidos e Espanha.

O território que é hoje a Colômbia foi originalmente habitado por nações indígenas, incluindo os Chibchas, Quimbaya e Tairona. Os espanhóis chegaram em 1499 e iniciaram um período de conquista e colonização matando ou tomando como escravos quase 90% da população nativa e, em seguida, criando o Vice-Reino de Nova Granada (que compreendia a Colômbia moderna, Venezuela, Equador, a região noroeste do Brasil e Panamá), com sua capital em Bogotá. A independência da Espanha foi conquistada em 1819, mas por volta de 1830 a "Grã Colômbia" ruiu com a secessão da Venezuela e do Equador. Os atuais Colômbia e Panamá emergiram como a República de Nova Granada. A nova nação experimentou com o federalismo como a Confederação Granadina (1858) e, em seguida, os Estados Unidos da Colômbia (1863), antes de a República da Colômbia ser finalmente declarada em 1886. O Panamá se separou em 1903 sob pressão para cumprir as responsabilidades financeiras para com o governo dos Estados Unidos para a construção do Canal do Panamá.

A Colômbia é etnicamente muito diversa e a interação entre os descendentes dos primeiros habitantes indígenas, colonos espanhóis, africanos trazidos como escravos e imigrantes do século XX vindos da Europa e do Oriente Médio produziu um rico patrimônio cultural. Isso também foi influenciado pela geografia bastante variada da Colômbia.

A maioria dos centros urbanos estão localizados nos Andes, mas o território colombiano também abrange a floresta amazônica, pastagens tropicais e os litorais do Caribe e do Pacífico. Ecologicamente, a Colômbia é um dos 17 países megadiversos do mundo (os de maior biodiversidade por unidade de área).

Religião

Com base em vários estudos, mais de 95% da população do país adere ao cristianismo, a grande maioria dos quais (entre 81% e 90%) é de católicos romanos. Cerca de 1% dos colombianos participa de religiões indígenas e menos de 1% segue o judaísmo, islamismo, hinduísmo e budismo. No entanto, apesar do alto número de adeptos, cerca de 60% dos entrevistados de uma pesquisa feita pelo El Tiempo informaram que não são praticantes ativos de sua fé.

Embora a Colômbia continue a ser um país católico, a constituição do país garante a liberdade e a igualdade de religião. Grupos religiosos são facilmente capazes de obter o reconhecimento como associações organizadas, apesar de alguns pequenos terem enfrentado dificuldade em obter o reconhecimento adicional necessário para oferecer serviços de capelania em estabelecimentos públicos e realizar casamentos legalmente reconhecidos.

Presença dos Xaverianos junto a uma igreja que cresce

O Xaverianos chegaram à Colômbia em 1975, inserindo o país no longo processo de evangelização iniciado no século XVI com as "reduções" (Comunidade Cristã religiosa, política). No século XVII, enquanto as paróquias iam sendo criadas, iniciava também o trabalho pastoral de forma mais profunda entre grupos de indígenas, quando S. Pedro Claver levantou sua voz contra o comércio de escravos. Com a independência (1819) começou um momento difícil para a Igreja da Colômbia.

Houve expulsões de padres e bispos, profanação de Igrejas e controle do culto. Apenas com a Concordata de 1878 com o S. Assento, houve um pouco de "trégua”, mesmo que em um "regime de cristandade".

A celebração da Primeira Assembleia do Conselho Episcopal da América Latina, realizada em Medellín, na Colômbia, iniciou um período de renovação da Igreja profética, envolvendo principalmente os homens na defesa dos direitos humanos e de denúncia das injustiças.

Os Xaverianos começaram suas atividades no grande porto de Buenaventura, na costa do Pacífico.




A população é constituída principalmente de pessoas de ascendência Africana, sofrendo, assim como a discriminação, e também com os males tradicionais do país: pobreza, drogas e violência.

Os Xaverianos marcam sua presença na Colômbia, estando ao lado de sua população em um esforço para dar vida aos valores tradicionais trazidos da África e para ajudá-los a se sentirem parte da grande comunidade nacional e eclesial. Em Cali o trabalho dos Xaverianos é realizado na periferia desta grande cidade, para restaurar a dignidade a tantas pessoas desenraizadas.





Na capital Bogotá, onde chegaram iniciando a presença missionária, os xaverianos voltaram-se para um novo tipo de atividade: a pastoral vocacional entre os jovens e a Animação Missionária na Igreja. Fazer com que a Igreja local abra-se para a dimensão missionária, especificamente através do carisma xaveriano, tornando a Igreja da Colômbia desejosa de ir além de suas fronteiras, a fim de dar "de sua pobreza".


Imagens Colômbia - Buenaventura


















Imagens Colômbia - Buenaventura - Ver mais...


Imagens Colômbia Bogotá, Calí









Imagens Colômbia Bogotá, Calí - Ver mais...


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

MISSÃO XAVERIANA NO BANGLADESH



O Bangladesh é um país asiático rodeado quase por inteiro pela Índia, exceto a sudeste, onde tem uma pequena fronteira terrestre com Myanmar, e ao Sul que é banhado pelo Baia de Bengole.

Entre 1947 a 1971, a região que hoje é Bangladesh era chamada  Paquistão Oriental. Depois da guerra civil de nove meses (1971) entre o Paquistão Ocidental(atual Paquistão) e o Paquistão Oriental, ocorreu a separação e a parte oriental conquistou sua independência passando a se chamar Bangladesh.
Como a região, hoje denominada Bangladesh era um Estado da Índia, dos quatro lados,  três fazem fronteiras com a mesma.. Muitos dos aspectos físicos e culturais de Bangladesh são partilhados com a região denominada  Bengala Ocidental o qual é  um Estado da Índia e do qual o atual Bangladesh teve origem.. O nome Bangladesh significa "nação de Bengala, ou povo que fala a língua bengala ou bengali. Seu território ocupa uma área de  56.977 km (quadrados) um pouco maior que o Estado de São Paulo, sustenta uma população de 150 milhões de habitantes  e sua capital  é Dhaka com mais de 12 milhões de habilitantes.

Entre as grandes riquezas naturais do Bangladesh destaca-se a grande quantidade de rios que cortam todo o seu território, e são os principais canais de comunicação, irrigação e fonte de alimento. 

O Bangladesh está dividido em 6 Estados (em bengali: bibhag) e estes em 64 províncias (zila). Cada província foi batizada com o nome de sua respectiva capital: Entre elas as mais importantes são: Barisal, Chittagong, Dhaka, Khulna, Rajshahi, e Sylhet. Bangladesh é uma democracia parlamentarista, chefiado por um primeiro-ministro. 

O Parlamento conta com 330 cadeiras eleitas direta ou indiretamente representando as províncias.. A agricultura é a principal atividade econômica do Bangladesh. O arroz e peixe são os principais alimentos do povo de Bangladesh. Além do arroz que é cultivado três vezes no ano, da abundancia de peixes, cultiva-se a juta,  (planta usada para fazer estopa e barbante) o chá, que é a principal bebida e uma diversidade de legumes, frutas e verduras o que complementam a economia. A principal unidade de moeda é a taka (um real equivale a aproximadamente a 30 takas).

Dos 150 milhões de habitantes, apenas 317.466 mil são Católicos. A maioria da população,cerca de 85%, são muçulmanos, sendo o restante composta de hindus,  budistas,  cristãos não católicos e inúmeros povos tribais com religião própria. A língua nacional, bengali, é falada por mais de 98 % da população. Bengalis constituem o maior grupo étnico, e as minorias(2%) incluem quarenta e  cinco tribos diferentes. Entre as principais tribos destaca-se: Santal, Chakma, Garo (Mandi) e  o Mogh.. O Islã ou islamismo é a religião oficial do Estado,. A história e cultura do Bangladesh remonta a mais   de 2500 anos. Como conseqüências das diferentes religiões e diversidade étnica  a cultura do Bangladesh conta com uma riquíssima diversidade cultural e artística . 

A evangelização começou no século XVI pelos padres jesuítas, dominicanos e agostinianos. Depois chegaram a Congregação da Santa Cruz, do  PIME e dos xaverianos  além de outras duas congregações de irmãs para dar continuidade à evangelização. Atualmente o  Bangladesh está dividido em sete dioceses. Os Missionários Xaverianos  chegaram em Bangladesh em 1952.   estão trabalhando nas dioceses de Khulna, (fundada pelos Xaverianos), Dhaka, Mymensingh, e Dinajpur.  A diocese de Khulna fica a sudoeste do Bangladesh. Segundo as estatísticas oficiais, o número de católicos da diocese é de cerca 33,500(mil) pessoas. Os católicos das onze paróquias da diocese, como os católicos brasileiros, são pessoas de bastante fé e muita devoção, especialmente com relação à Nossa Senhora( "Ma Maria" como é chamada)

A missão dos Xaverianos no Bangladesh inclui a animação das comunidades nas paróquias, atividade de inculturação da mensagem cristã, diálogo inter-religioso,  formação acadêmica e técnico-profissional de jovens em escola técnica, a atenção às minorias étnicas, crianças de rua e com  doentes em hospitais.. Os Xaverianos buscam testemunhar os valores do Cristianismo com a fé no Deus de Jesus, a esperança na vida eterna e o Amor Misericordioso do Deus 'Abba', vivendo o valor da fraternidade, partilhando o seu tempo, sua vida  como Missionários.

Embora a religião oficial do Bangladesh é o Islamismo, os cristãos tem liberdade de praticar sua fé e sua presença tem sido de profundo dialogo e compromisso no projeto de fazer do mundo uma só família como sonhava  nosso fundador São Guido Maria Conforti ".