Atuar no lugar do seu dia a dia com o mundo nas mãos para fazer do mundo uma só família no amor!

"Os cristãos leigos são homens e mulheres da Igreja no coração do mundo, homens e mulheres do mundo no coração da Igreja!" (PUEBLA 789)

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

DEUS CONOSCO

NATAL: É TEMPO DE SONHAR DE NOVO


       Nestes dias, à exemplo de Maria, tive a graça de ser conduzido pelo anjo Gabriel à cidade e diocese de São Gabriel da Cachoeira no Estado do Amazonas, divisa com a Colômbia e Venezuela. Fui visitar os familiares, a comunidade, o povo indígena do nosso seminarista Giomar. É uma realidade onde 90% da população é indígena e na sua maioria, cristã.  Foram dias de graças, de esperança, de novidades do amor de Deus.

        Partilho com vocês algumas fotos desta visita e pensamentos do Papa Francisco onde ele nos desafia a sermos uma Igreja  pobre à serviço dos mais pobres, uma Igreja próxima do povo, solidária, missionária.

 Num tempo de crise da juventude, sobretudo em relação à Igreja, o Papa

Francisco aparece na história e arrasta multidões de jovens e nos abre os olhos: “A juventude é a janela pela qual o futuro entra no mundo”. Não deixemos que nos roubem a esperança!” Mas digo também: Não roubemos a esperança, pelo contrário, tornemos-nos todos portadores de esperança!


Num tempo marcado pelo individualismo, em muitos ambientes, infelizmente, ganhou espaço a cultura da exclusão, a “cultura do descartável”. Não há lugar para o idoso, nem para o filho indesejado; não há tempo para se deter com o pobre caído à margem da estrada. o Papa nos diz: “Não deixemos que nos roubem a comunidade!”


Num tempo onde predomina o indiferentismo religioso e  uma Igreja voltada para si mesma, somos chamados a deixarmos-nos interpelar pela ação do Espírito Santo, buscando  as coisas fundamentais do Evangelho. O papa Francisco nos alerta: “Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário!”


Num tempo em que o desânimo e a tristeza parece tomar conta de nossas vidas e de nossas comunidades pastorais, deixemos-nos surpreender pelo vinho novo do Evangelho e do amor que Deus sempre nos reserva. O papa Francisco nos exorta: Não deixemos que nos roubem a alegria da evangelização!”

Num tempo onde as pessoas experimentam o fascínio de tantos ídolos que se
colocam no lugar de Deus como a busca do ter, do poder, do sucesso e do prazer, lembremo-nos sempre: somente quando se é capaz de compartilhar é que se enriquece de verdade; tudo aquilo que se compartilha se multiplica!  O papa  nos desafia: Não deixemos que nos roubem o ideal do amor fraterno!”


Num tempo onde os nossos ouvidos se explodem com tantos ruídos e vozes: internet rápida, carros velozes, aviões rápidos, relatórios rápidos...  onde o nosso coração fica dividido diante de tantas propostas que chegam até nós, o papa Francisco nos ilumina: “Não deixemos que nos roubem o Evangelho!”


Num tempo onde as pessoas se fecham pelo medo da proximidade com o outro, da perda do sentido da solidariedade e do egocentrismo da fé, o papa Francisco nos encanta com seus gestos, palavras e sonhos: “Não deixemos que nos roubem a força missionária!”


Não podemos deixar passar em vão este momento de graça - Kairós que o Papa Francisco está despertando em nossa Igreja sob as luzes do Ano da Fé, da celebração dos 50 anos do Concílio Vaticano II e, sobretudo sob as luzes do Espírito Santo sobre a nossa história de hoje. Creio eu que ele está mexendo com cada um de nós, de maneira especial com a nossa missionariedade, nossa opção pelos pobres, nosso estilo de acolhimento e proximidade ao povo. Nosso modo de viver precisa oferecer um significado para o mundo de hoje, de maneira especial, ser um convite vocacional para os jovens.

DESEJO À VOCÊ, SUA FAMÍLIA E COMUNIDADE 
UM FELIZ NATAL E 
UM ANO NOVO PLENO DE VIDA E ESPERANÇA.


joaobortoloci@bol.com.br

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

São Francisco Xavier


São Francisco Xavier é o maior missionário de todos os tempos. Sua vida é um exemplo de desprendimento, entrega, devoção e pleno amor à Deus, pois se doou a serviço do próximo abandonando riqueza e poder para viver com simplicidade. Não hesitou em fazer o nome de Jesus ser proclamado em diversas terras onde o cristianismo ainda não havia chegado.
Um homem de fé e destemido que entregou a sua vida para evangelizar e que, a caminho de realizar seu maior sonho, que era evangelizar na China, foi para junto de Deus aos 46 anos.

Seu exemplo missionário tocou no então bispo de Parma Dom Guido Maria Conforti, que ao ler a biografia de São Francisco Xavier, abraçou o sonho de Xavier em ir à China evangelizar e que após muitas dificuldades fundou a Congregação Missionária Xaveriana em 1895 e possibilitou que o sonho de São Francisco se tornasse realidade, estando presente hoje em todos os continentes do nosso planeta. Há pouco mais de dois anos, Dom Guido foi declarado Santo pela Igreja.
São Francisco Xavier é para ser imitado por todos nós. Pois todos devemos buscar tornar Jesus conhecido e amado e mais que isso, contribuir para que haja respeito entre os homens, seja na família, no trabalho, na comunidade, na escola, enfim, em todos os ambientes em que atuamos. Afinal, só existe um caminho para se amar a Deus verdadeiramente: é amar ao próximo como a nós mesmos.

Hoje é o seu dia, reze pedindo sua intercessão pelas vocações leigas e religiosas, por todos nós leigos e pelos queridos padres e seminaristas xaverianos. Ele que declarou ter os braços cansados de tanto batizar e seguiu sua missão, seja exemplo para que mesmo cansados e desanimados encontremos em Cristo forças para seguir, evangelizar e denunciar.
 

Memória da Roça

Artigo do nosso amigo leigo João Diniz Sobrinho, de Ourinhos/SP

 Escrever sobre este assunto é recordar o passado de muita gente que está
morando na cidade. Afinal, a origem do povo brasileiro é rural. Por falta de uma
política agrícola e com o avanço dos grandes ruralistas a roça se esvaziou tanto que
atualmente são poucas as pequenas propriedades que sobrevivem em algumas
regiões. Sabe-se que por natureza, o homem do campo, sem estresse, tem uma
sabedoria popular, pois desde o amanhecer ao por do sol, o contato com a natureza
não tem preço. Na roça, logo pela manhã, ouve-se o cantar dos pássaros, do galo, o
mugir das vacas e dos bezerros no curral. Antes mesmo do sol nascer o fogão de lenha
é aceso e em seguida o café com aquele aroma que somente o homem do campo sabe
apreciar. Ainda pela manhã, tratar dos porcos, das galinhas era uma rotina e milho no
paiol não faltava.
 O período que antecede o Natal, era esperado de uma forma mágica sem aquela
preocupação com o consumo exagerado. Logo na primeira semana de dezembro as
famílias procuravam montar o tradicional presépio do menino Jesus. Assim como, as
festas do padroeiro na capela do bairro rural com a tradicional procissão, as batidas do
sino, rojões, e encerrava com o leilão de prendas.
 Outro registro que ficou na memória são as quatro estações do ano vivenciadas
pelo homem do campo, principalmente as estações; outono e verão, muita fruta,
jogar bola, cavalgar, caçar de estilingue, pescar, brincar de balanço na árvore e brincar
no rio. Isso sem falar dos dias chuvosos na roça, sempre com novidades; bolinhos
de chuva, estourar pipoca, jogar baralho, etc. Durante o anoitecer, o que chamava
atenção do homem do campo eram as estrelas e a lua cheia. As estrelas incontáveis
que brilham no céu, o cruzeiro do sul e a estrela Dalva eram observados por todos. Nas
noites de lua cheia sentados em uma cadeira ou banco de madeira, enquanto contava
causos, a família admirava por um bom tempo a beleza da lua. Evidentemente,
somente quem passa por essa experiência sabe o quanto é mágico a vida no campo, o
contato direto com a natureza e que nunca se apaga da memória.
 Em contra partida, na cidade, ouve-se também cantorias de pássaros, porém
tristes, afinal o mundo deles é o da liberdade. Já o homem urbano que reside um
próximo do outro, porém distante do seu semelhante, o que se vê logo pela manhã é
uma multidão apressada e correndo contra o tempo para chegar ao trabalho. Quando
chega a noite, não contempla a lua cheia e nem as estrelas que brilham no céu,
está sempre preso em uma tela, ora da TV, ora do computador. Um homem urbano
estressado, sem memória e sem história pra contar.

Ourinhos, Dezembro de 2013
João Diniz Sobrinho

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Algumas fotos da 4ª Assembleia Geral dos Leigos em Laranjeiras do Sul/PR

 Aqui já no final da Assembleia quando diante da Igreja, dos fiéis, dos representantes dos consagrados xaverianos, nós, os Leigos assumimos e assinamos o compromisso missionário em "atuar de forma organizada, vivendo, testemunhando e anunciando o carisma missionário ad gentes, na família, na comunidade, no trabalho, onde estiver, sendo corresponsável com a animação missionária na Igreja local, estimulando a vocação missionária leiga e religiosa em sintonia com a Congregação dos Missionários Xaverianos e diretrizes da Igreja, desenvolvendo iniciativas e ações que promovam a paz, a tolerância, o diálogo inter-religioso, a solidariedade universal, a fraternidade e a justiça com os pobres e excluídos à luz da perspectiva do Reino de Deus anunciado por Jesus Cristo. "
Laranjeiras do Sul/PR - 16.11.2013

 Em um momentinho de folga no sábado após o almoço, uma boa parte dos leigos foi conhecer a cidade que nos acolheu com tanto carinho e do alto do Cruzeiro avistamos toda a cidade.
No Santuário Nossa Senhora Aparecida pedindo a Mãe proteção.

 É por Cristo estar em nós que estamos todos aí reunidos, sorrindo juntos e pedindo a Deus que nos proteja e encaminhe a sermos batizados fiéis e comprometidos em evangelizar...
Todos os leigos presentes na 4ª Assembleia Geral na Colina dos Mártires Xaverianos antes de iniciarmos nosso momento de "deserto" / retiro no Seminário na sexta a tarde, dia 15.11.2013.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

4ª Assembleia Geral e nosso Logo

Amigos:
Pedimos orações para a nossa 4ª Assembleia Geral dos Leigos Missionários Xaverianos.
Nos dias 15 e 16 de novembro estaremos reunidos em Laranjeiras do Sul no Paraná buscando nos fortalecer e partilhar para estarmos cada dia mais envolvidos e comprometidos com a missão.
Que Jesus misericordioso permita que todos façam uma ótima viagem!!
Temos certeza que Laranjeiras nos acolherá com muito carinho.
E que a exemplo de São Francisco Xavier e São Guido Maria Conforti possamos romper barreiras, multiplicar o bem, sair do nosso próprio eu e ir ao encontro do outro (do próximo).

Aproveito para apresentar a todos o LOGO da Associação dos Leigos.

Um abraço, Patricia

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

TESTEMUNHO DO JOVEM MATIAS


“O nosso primeiro serviço ao Reino de Deus é o anuncio de Cristo e da sua mensagem, com a palavra e com a vida” [...] (Mc 2,2).

Ser missionário é responder ao chamado que Cristo nos  faz constantemente de ir e anunciar
 o Evangelho a todos os povos.  Nossa  missão dentro da Igreja começa quando, pelo batismo, recebemos o chamado a sermos: “sacerdote, profeta e rei”, no serviço ao Reino de Deus. 

Sacerdote porque participamos do sacerdócio de Cristo, tornando-nos “outro Cristo”. Ser cristão é tornar-se profeta, porque devemos anunciar o plano de Deus e denunciar o que a ele se opõe. Como rei, nós servimos aos irmãos e à comunidade, e somos também herdeiros do Reino de Deus. E por esta graça nos tornamos membros vivos da Igreja.

Não sei dizer ao certo se alguém influenciou diretamente a minha vocação. O que lembro é que ainda criança, com pouco mais de 6 anos, dizia que queria ser padre. Fui coroinha até a adolescência, e desde daquela época meu desejo vocacional só aumentou, e fui aprendendo sobre a palavra de Deus e sentia cada vez mais o amor de Cristo em meu coração. Fiz encontros vocacionais, participei de pastorais e movimentos jovens, e tudo contribui para dar o meu sim a Deus. Mas antes de caminhar nesta direção vivi como qualquer outro jovem, sempre em busca de sonhos e de realizações, trabalhei, namorei, estudei numa universidade, e sempre me questionava se estava no lugar certo, se realmente era esta a minha “missão”, pois o coração era dividido entre dois “amores”, viver como leigo, ou seguir a vocação sacerdotal.

Com o tempo, em um momento da minha vida em que tudo caminhava muito bem, em eu que poderia fazer tanta coisa, pois tinha um bom emprego, um bom salário, poderia ter “luxos” e vivenciar “prazeres”, ou encontrar a mãe dos meus futuros filhos, decidi parar e repensar meus objetivos, e disse o meu sim para Deus. Respondi sim a vocação religiosa e missionária, junto aos Missionários Xaverianos, e estou seguindo o caminho formativo rumo ao sacerdócio missionário.
A missão nos chama e a Igreja necessita de pessoas que abracem a causa de anunciar a Boa Nova. Precisa de jovens que com a sua juventude, agarrem o propósito de levar Jesus a todos os povos. Vivemos em tempos onde é difícil seguir sem ser tentado pelo mundo, mas como nos diz São Paulo: ''vivemos no mundo, mas não pertencemos a ele''. A única certeza que temos é que: estamos aqui de passagem,  e se faz necessário querermos e almejarmos o céu, a glória eterna.

Como consagrado sigo o propósito de proclamar a todos que Jesus Cristo é o nosso Salvador. O mundo está justamente nos mostrando o contrário, vive como se Deus não existisse, e tem feito de tudo para que as pessoas se afastem Dele. Prega-se que não é possível viver a santidade, que é coisa do passado ir e seguir os ensinamentos da Igreja, mas a força do jovem é grande e mostra a todos que é maravilhoso ser cristão, ser de Deus, buscar a Deus e torná-lo conhecido por todos.

Sou feliz em seguir a vocação religiosa, buscando servir o Reino de Deus. Vivo a missão de batizado e consagrado. Como jovem, não é fácil viver como consagrado no mundo de hoje, mas a força vem D’aquele que primeiro nos amou. Portanto, ser religioso, religiosa ou vocacionado, é responder ao grande amor de Deus. Quando decidimos pela vocação, não perdemos nada na vida, mas nos é acrescentado “bens e amores” ainda maiores que, de outra forma não poderíamos conseguir: os bens recebidos são as experiências que podemos fazer como missionários pelo mundo inteiro, aprendendo da vida e da cultura de tantos povos, e os amores são: carinho, afeto e gratidão que recebemos ao sermos acolhidos por novos país, mães e irmãos que Deus vai nos apresentando no dia-a-dia da missão.

                           Atenciosamente,

                                                              Matias Filho

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

“DEIXE-SE SURPREENDER POR DEUS”

“30 ANOS DE SACERDOTE DO Pe. JOÃO
Meu irmão e irmã de caminhada
Tem coisas que não dá pra guardar só para a gente. Sinto-me um vaso pequeno por tanto amor recebido. Partilho com você um pouco deste amor, presente de Deus, de tanta gente que passaram a fazer parte em minha vida e você também colaborou neste caminho.
À você a quem fui chamado a estar muito próximo, partilho algumas surpresas que Deus foi me fazendo na minha caminhada. Retomo dois textos bíblicos que se tornaram marcas, bandeiras, ícones em minha vida. O primeiro vem da Festa de Caná da Galiléia e o Papa Francisco me fez retornar à fonte: “quando batemos na porta de Maria, ela nos apresenta Jesus” e nos diz: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). O segundo vem de DT 32,7-10 onde somos chamados a recordar os dias passados e contar para as gerações que Deus nos guardou com carinho. São Guido Maria Conforti, fundador da minha e nossa família xaveriana dizia: “Deus não podia ter sido melhor para conosco”.

        Ao celebrar 30 anos de minha vida sacerdotal, não posso me esquecer que Deus me proporcionou e continua me presenteando com muitas experiências bonitas de sua graça. Vejam só:

1-    A experiência do dom da vida: agradeço de coração a Deus e a meus pais por terem me deixado nascer sendo eu um dos últimos de quase 20 irmãos. Por isso, faço minha esta oração, este cântico: “Senhor da vida, seu amor nos faz recomeçar. Eu sei que a nossa vida, é vida perdida pra quem não amar. Bendito seja o Deus da vida.

   2-    A experiência de ser amado por Deus: sentir-se amado por Deus faz a gente vibrar com a vida, apostar na esperança e sonhar que um mundo melhor é sempre possível. Ao mesmo tempo que somos amados, somos chamados a amar. Esta é uma grande dívida que temos para com Deus: sermos testemunhas do seu amor cheio de compaixão.


3-    A experiência da vocação cristã : louvo sempre a Deus pela fé que recebi do berço de minha família e que foi alimentada na minha comunidade, na minha caminhada vocacional e missionária, tornando-se uma chama que arde e me abre sempre mais para a ação do Espírito Santo.

4-    A experiência de oração: como os primeiros discípulos, também eu como discípulo missionário de Jesus Cristo peço sempre a Ele, “ensina-me a rezar”. Dai-me “ouvidos de discípulo” para lhe escutar, assim como “escutar os clamores do seu povo”. Abre os meus olhos para um olhar de
fé, de esperança e os meus lábios para cantar a sua ação na história. Toma o meu coração e conserta-o para que eu possa testemunhar com toda a minha vida o seu amor misericordioso.

  5-    A experiência de um chamado especial de Deus: não tenho palavras para manifestar a minha gratidão a Deus pelo dom do sacerdócio com o qual Ele me ungiu e pela minha consagração missionária fazendo parte da Congregação dos Missionários Xaverianos que me acolheu e me desafia a ser sempre mais de Deus e à serviço do seu povo, sobretudo daqueles que ainda não fizeram a experiência da ternura e da bondade de Deus.

6-    A experiência da caminhada com o povo de Deus: Não me canso de louvar a Deus por tantas experiências bonitas com o seu povo  em tantos lugares e comunidades por onde passei. Quanta bondade, acolhimento, alegria, fé, espírito de serviço, gratidão, esperança, amor... Quanta graça, Senhor! “Somente a sua graça me basta e mais nada”.

7-    A experiência da amizade: Quantos corações amigos encontrei na vida,
sobretudo nestes 30 anos de sacerdócio que vou celebrar em outubro deste ano. Amigos com os quais partilhei a minha vida. Mães e pais amigos que me acolheram como filho; filhos e filhas que me acolheram como irmão; jovens, adolescentes e crianças que me acolheram como pai. Quantos padres, bispos, consagradas e consagrados que me ajudaram a viver a minha consagração. Quantos leigos e leigas que me encantam  pela disponibilidade, entusiasmo, pelo espírito de serviço e fraternidade, espírito missionário, alguns até assumindo como leigos missionários xaverianos. Deus é sempre criativo e seu carinho de verdadeira amizade nos renova a cada dia.

8-    A experiência da missão além fronteiras: Nunca estive tão perto, tão próximo de Deus como nos dez anos em que fui presenteado por Ele com a missão em Moçambique. Os primeiros sentimentos e as primeiras palavras que saíram do meu coração, ao pisar naquele chão bendito, foi: Deus está aqui! Quanto mais próximo daquele povo pobre mais aumentava este sentimento. Vibrei com o Papa Francisco quando ele
disse: ”precisamos ser uma Igreja pobre a serviço dos mais pobres”. Precisamos ser cada vez mais próximos, sobretudo daqueles que mais precisam da nossa solidariedade.

   9-    A experiência de propor o dom da vocação e acompanhar os vocacionados: precisamos crescer na paixão por aquilo que fazemos à partir da escolha de vida que fazemos. Deus é sempre “Com-Paixão”, por isso tem o poder de tocar nos corações e despertar os sonhos que ele colocou dentro de cada um dos seus filhos e filhas. Faço com prazer a minha missão de propor aos jovens o chamado de Deus e acompanhá-los em seu discernimento. Precisamos ser geradores desta vida que muitas vezes fica em sonhos frustrados porque não tocamos no coração das pessoas por não vivermos em profundidade a nossa vocação. Precisamos apostar na juventude pois Deus continua chamando e sonhando com eles . Diga como o salmista e como Maria: “Eis que venho, com prazer, fazer a vossa vontade, Senhor”.

10-                       A experiência da cruz e da ressurreição: Deus sempre nos surpreende com seu amor. Deixou o seu Filho Jesus morrer pregado na
cruz pela nossa salvação. Um instrumento de maldição tornou-se instrumento de paixão, de vida em plenitude. Nestes últimos dias ele me surpreendeu, após um exame no intestino  com a doença de dois pólipos cancerígenos: um de alto grau, outro de grau menor. Recebi esta notícia no dia da chegada do Papa Francisco no Brasil. Coloquei-me nas mãos de Deus pedindo a  intercessão de Nossa Senhora Aparecida e de   São Guido Maria Conforti. O meu pedido foi este: “Senhor, se for para crescer na sua graça,

faça-se a sua vontade e, se não for para crescer na sua graça, faça-se a minha vontade, pode me levar, pois não quero perder tantas graças que recebi. No domingo da despedida do Papa Francisco acordei com muita dor no intestino, coisa que nunca tive e,  celebrando a Santa Missa das 10,30 hs na Igreja Bom Pastor, em Curitiba, no final da homilia, convidei o povo a olharmos para a Imagem de Nossa Senhora Aparecida com aquele olhar do Papa Francisco, em Aparecida, pedindo força para sua missão e para a juventude. Desde aquele momento já não sei mais o que é dor e tenho certeza que Deus me curou. Estou sendo acompanhado pela medicina e os próprios médicos me incentivaram a contar a ação de Deus, sobretudo por terem descoberto ainda no início, tornando-se mais fácil de cirurgia. Porém, o milagre maior foi o de sentir um Deus muito próximo de mim, por ter aumentado a minha fé e de renovar com maior ardor missionário a minha consagração e o meu sacerdócio  apostando sempre mais no Carisma e na espiritualidade missionária de S. Guido Maria Conforti.


Muito Obrigado, Senhor, por este grande presente que me deu para que eu pudesse estar celebrando os 30 anos de minha vida sacerdotal acolhendo com muita fé e alegria as surpresas do seu amor para comigo e renova-me em minha consagração, o meu sacerdócio sempre em vista da missão.
.
Finalizo propondo à você as três posturas com as quais o Papa Francisco nos desafiou:
a)  Conserve sempre a esperança
b)  Deixe-se surpreender por Deus
c)   Viva com alegria a sua fé.

Pe. João Bortoloci Filho

            joaobortoloci@bol.com.br
ESTÁGIO VOCACIONAL EM CURITIBA: de 1 à 3 de novembro
ASSEMBLÉIA DOS LEIGOS XAVERIANOS 
EM LARANJEIRAS DO SUL: de 15 à 16 de novembro

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

ESTÁGIO VOCACIONAL

DEUS NOS CHAMA PARA ESCOLHAS DEFINITIVAS


“Queridos jovens, o Senhor precisa de vocês! Ele também hoje chama a cada um de vocês para segui-lo na sua Igreja e ser missionário. Hoje, queridos jovens, o Senhor lhes chama para escolhas definitivas. Ele tem um projeto para cada um: descobri-lo, responder à própria vocação é caminhar para a realização feliz de si mesmo.

IDE: Mas, atenção! Jesus não disse: se vocês quiserem, se tiverem tempo, mas: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Paulo exclama: «Ai de mim se eu não pregar o Evangelho!» (1Cor 9,16)

SEM MEDO: Deus responde a vocês com as mesmas palavras dirigidas ao profeta Jeremias: «Não tenhas medo... pois estou contigo para defender-te» (Jr 1,8). Deus está conosco!

PARA SERVIR: Não são palavras, nem uma melodia, mas é o canto da nossa vida, é deixar que a nossa vida se identifique com a vida de Jesus, é ter os seus sentimentos, os seus pensamentos, as suas ações. E a vida de Jesus é uma vida para os demais. É uma vida de serviço.

Cristo “bota fé” nos jovens e confia-lhes o futuro de sua própria causa: “Ide, fazei discípulos”. Ide para além das fronteiras do que é humanamente possível e criem um mundo de irmãos. Também os jovens “botam fé” em Cristo. Eles não têm medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos.” 


«Bote fé», «bote esperança», «bote amor»!”

E VENHA PARTICIPAR DO NOSSO ESTÁGIO VOCACIONAL
DOS MISSIONÁRIOS XAVERIANOS

QUANDO: de 1 à 3 de novembro de 2013

ONDE: Nosso Seminário dos missionários Xaverianos em Curitiba
              Rua Victorio viezzer, 767
               Bairro: Vista Alegre das Mercês

HORÁRIO: Início com o almoço da sexta feira dia 1 de Novembro
                      Encerramento com o almoço do domingo dia 3 de novembro

ESCREVA PARA MIM:       joaobortoloci@bol.com.br


OU TELEFONE PARA A NOSSA CASA: (41) 3335-5545

Não tenha medo de  
“AVANÇAR PARA AS ÁGUAS MAIS PROFUNDAS" (Lc 5,4)

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

PARABÉNS PAIS

PAPA FRANCISCO, NOSSO PAI ESPIRITUAL

Queridos  pais
Neste  dia, tão significativo para todos nós, bato à porta do  coração de vocês, com as palavras do nosso pai espiritual, Papa Francisco.
“Agradeçamos ao Senhor esta graça da paternidade na Igreja. Todos nós pecamos. Mas, não ter filhos, não ser pais é como parar na metade do caminho. Por isso, devemos ser pais. Um pai sabe o que significa defender seus filhos. Esta é uma graça que também nós padres devemos pedir: ser pais! A graça da paternidade pastoral e espiritual”.
Os pais usam dizer por aqui: “os filhos são a menina dos nossos olhos”. Que bela expressão da sabedoria brasileira que aplica aos jovens a imagem da pupila dos olhos, janela pela qual entra a luz regalando-nos o milagre da visão! O que vai ser de nós, se não tomarmos conta dos nossos olhos? Como haveremos de seguir em frente? Os jovens são verdadeiramente o futuro de um povo! Isto é verdade; mas não o são somente eles: eles são o futuro, porque têm a força, são jovens, continuarão para diante. Mas também, no outro extremo da vida, os idosos são o futuro de um povo. Um povo tem futuro se vai em frente com ambos os pontos: com os jovens, com a força, porque o levam para diante; e com os idosos, porque são eles que oferecem a sabedoria da vida. "Penso que nós cometemos uma injustiça com os idosos: eles jamais deixaram de dar, a sabedoria deles, a sabedoria da história, a sabedoria da pátria, a sabedoria da família, e disto nós precisamos. Papa Francisco exorta a dizer não à "cultura do descartável". Obrigado pela sua vida.

Diante da vida o Papa Francisco nos convida a termos 3 posturas:


1- A primeira postura: Conservar a esperança. Quantas dificuldades na vida de cada um, no nosso povo, nas nossas comunidades, mas, por maiores que possam parecer, Deus nunca deixa que sejamos submergidos. Frente ao desânimo que poderia aparecer na vida, em quem trabalha na evangelização ou em quem se esforça por viver a fé como pai e mãe de família, quero dizer com força: Tenham sempre no coração esta certeza! Deus caminha a seu lado, nunca lhes deixa desamparados! Nunca percamos a esperança! Nunca deixemos que ela se apague nos nossos corações!
2- A segunda postura: Deixar-se surpreender por Deus. Quem é homem e mulher de esperança – a grande esperança que a fé nos dá – sabe que, mesmo em meio às dificuldades, Deus atua e nos surpreende. Deus sempre surpreende, como o vinho novo. Deus sempre nos reserva o melhor. Mas pede que nos deixemos surpreender pelo seu amor, que acolhamos as suas surpresas. Confiemos em Deus! Longe d’Ele, o vinho da alegria, o vinho da esperança, se esgota. Se nos aproximamos d’Ele, se permanecemos com Ele, aquilo que parece água fria, aquilo que é dificuldade, aquilo que é pecado, se transforma em vinho novo de amizade com Ele.
3- A terceira postura: Viver na alegria. Queridos amigos, se caminhamos na esperança, deixando-nos surpreender pelo vinho novo que Jesus nos oferece, há alegria no nosso coração e não podemos deixar de ser testemunhas dessa alegria. O cristão é alegre, nunca está triste. Deus nos acompanha.


Eu louvo e agradeço a Deus pelo pai que tive, pelo seu testemunho de vida, sua bondade, honestidade, dedicação à família, trabalhador, homem de fé, homem de Deus. Esta foto foi na noite de minha ordenação sacerdotal em 15 de outubro de 1983.
Queridos pais, como o Papa, peço licença para bater delicadamente na porta do seus corações, neste dia dedicado a vocês, para lhes desejar parabéns e muita força de Deus para que possam testemunhar sempre o amor de Deus Pai e também para pedir a vocês, rezem por mim.
Feliz dia dos pais!

Pe. João

terça-feira, 30 de julho de 2013

CRISTO LHE CHAMA

IDE SEM MEDO PARA SERVIR

Caríssimos Jovens
Muita paz e ardor missionário!


O Papa Francisco, grande presente de Deus para a nossa Igreja, nos visitou, nos deu um banho de acolhimento, de amor, de alegria, assumiu o “cheiro das ovelhas” juventude e povo brasileiro, esquentou o nosso coração com suas reflexões e seu testemunho sobretudo com sua opção de vida pelos pobres, desafiou-nos para sermos construtores da Igreja e protagonistas da história.

Vejam alguns trechos de suas lindas reflexões:

Também hoje o senhor continua precisando de vocês, jovens. Também hoje ele chama a cada um de vocês para segui-lo na sua Igreja, para serem missionários.
Sei que vocês apostam em algo grande, em escolhas definitivas que dêem pleno sentido para a vida.
Deixem que o Espírito Santo fale aos seus corações. Perguntem a Jesus: ‘O que quer que eu faça? O que quer da minha vida?’
Todos somos parte da Igreja. Nos transformamos em construtores da Igreja e protagonistas da História. Não deixem que outros sejam protagonistas, sejam vocês. Vocês têm o futuro nas mãos. Por vocês, é que o futuro chegará. Peço que vocês também sejam protagonistas, superando a apatia e oferecendo uma resposta cristã às questões políticas que se colocam em diversas questões do mundo. Envolvam-se num mundo melhor. Não sejam covardes, metam-se, saiam para a vida. Jesus não ficou preso dentro de um casulo. Saiam às ruas como fez Jesus.

IDE. Durante estes dias, aqui no Rio, vocês puderam fazer a bela experiência de encontrar Jesus e de
encontrá-lo juntos, sentindo a alegria da fé. Mas a experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história (cf. Rm 10,9).

         Mas, atenção! Jesus não disse: se vocês quiserem, se tiverem tempo, mas: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações».

SEM MEDO. Alguém poderia pensar: «Eu não tenho nenhuma preparação especial, como é que
posso ir e anunciar o Evangelho»? Querido amigo, esse seu temor não é muito diferente do sentimento que teve Jeremias, um jovem como vocês, quando foi chamado por Deus para ser profeta: «Ah! Senhor Deus, eu não sei falar, sou muito novo». Deus responde a vocês com as mesmas palavras dirigidas a Jeremias: «Não tenhas medo... pois estou contigo para defender-te» (Jr 1,8). Deus está conosco!


PARA SERVIR. A vida de Jesus é uma vida para os demais. É uma vida de serviço.
Precisamos deixar que a nossa vida se identifique com a vida de Jesus,  com os seus sentimentos, os seus pensamentos, as suas ações. Evangelizar significa testemunhar pessoalmente o amor de Deus, significa superar os nossos egoísmos, significa servir, inclinando-nos para lavar os pés dos nossos irmãos, tal como fez Jesus. Não se esqueçam: vocês são o campo da fé! Vocês são os atletas de Cristo! Vocês são os construtores de uma Igreja mais bela e de um mundo melhor .

Ide, sem medo, para servir. Seguindo estas três palavras, vocês experimentarão que quem
evangeliza é evangelizado, quem transmite a alegria da fé, recebe alegria. Queridos jovens, regressando às suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o seu Evangelho. Jesus Cristo conta com vocês! A Igreja conta com vocês! O Papa conta com vocês! Que Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, lhes acompanhe sempre com a sua ternura: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Amém.

DEUS SEJA LOUVADO por tantas graças e bênçãos derramadas sobre nós, sobre a Igreja, sobre o Brasil e sobre o mundo inteiro com a presença do Papa Francisco nesta Jornada Mundial da Juventude em nosso País.

“BOTE FÉ”


Se você Jovem sentir que Deus lhe chama para Consagrar sua vida pela causa do anúncio do
Evangelho em todas as nações, veja o que diz o Fundador da Congregação dos Missionários Xaverianos para você: “Responda generosamente. Iremos lhe seguir por qualquer caminho, iremos a qualquer lugar, será nossa glória ficar por toda vida às suas ordens”. (São Guido Maria Conforti)

ESCREVA PARA NÓS!



sexta-feira, 26 de julho de 2013

ESPERANÇA NA JUVENTUDE

O PAPA  DAS SURPRESAS DE DEUS

Chegou a grande SEMANA DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE e com ela a
chegada do PAPA FRANCISCO. Ele parte carregando sua pequena mala e chega com alegria distribuindo o acolhimento e a ternura que vem de Deus.

O PAPA DO POVO

Há um ditado que “Deus escreve certo por linhas tortas” e foi isso que aconteceu já na chegada com o erro do percurso do aeroporto para a Catedral onde o papa se viu no meio do povo, cercado pelo povo, sem medo do povo, sobretudo dos pobres. Fica com o vidro da porta do carro aberto saudando, tocando e sendo tocado pelo povo. Os jornais internacionais chamaram a atenção das autoridades brasileiras pelo risco que deixaram o papa correr. Porém ele quer correr o risco e tomou um banho do amor, do carinho e da fé do povo brasileiro e, ao mesmo tempo deu um banho de ternura.

O PAPA QUE ACREDITA NOS JOVENS

Chegou pedindo licença para entrar em nossa casa batendo na porta do coração. Exalta a afetividade e o carinho do povo brasileiro e nos trás com presente nem ouro e nem prata e sim  Jesus Cristo. Fala com simplicidade e autoridade usando ditados populares como “a juventude é a pupila dos nossos olhos”. Precisamos cuidar com carinho dela senão vamos andar nas trevas. A juventude é a janela por onde entra a esperança no mundo e Cristo bota fé nos jovens e os convoca para serem discípulos e fazer discípulos entre todas as nações.

O PAPA DA TERNURA

Manifesta de muitas maneiras a ternura de Deus Pai e Mãe, de maneira
especial no encontro com as crianças. Já foram muitas as crianças abraçadas e beijadas pelo papa neste pouco tempo de presença no Brasil. Ele mesmo toma a iniciativa de pedir para  parar o carro para acolher os pequenos. Porém ele mesmo diz que não basta um abraço, é preciso estender a mão, ser defensor da vida. O seu olhar de ternura diante de Imagem de Nossa Senhora Aparecida tocou profundamente no coração do povo.

O PAPA DA DEVOÇÃO MARIANA

Viemos bater à porta da casa de Maria e entregar para ela a Jornada Mundial da Juventude. Ela abriu-nos, fez-nos entrar e nos aponta o seu Filho. Agora Ela nos pede: «Fazei o que Ele vos disser» (Jo 2,5). Sim, Mãe nossa, nos comprometemos a fazer o que Jesus nos disser! E o faremos com esperança, confiantes nas surpresas de Deus e cheios de alegria. Sem Cristo não há luz, esperança e futuro. Longe dele o vinho da alegria se esgota. Sempre que tivermos uma cruz para carregar, Maria está ao nosso lado para nos ajudar. Recebe de presente a imagem de Nossa Senhora Aparecida, beija-a com ternura, abençoa o povo com ela e sai no final da celebração com ela ao colo saudando com alegria os devotos marianos.

O PAPA DO CONCÍLIO VATICANO II

Na celebração dos 50 anos do Concílio Vaticano II a Igreja recebeu de
presente o Papa Francisco que está resgatando a imagem da Igreja “Povo Deus”. Ele disse que o Documento de Aparecida é fruto do trabalho dos pastores mas também da fé do povo simples dos romeiros e devotos de Nossa Senhora. Ele vem para confirmar, revigorar a nossa fé e nossa caminhada de Igreja  “Povo de Deus”. Vem acender em nossos  corações a esperança de uma Igreja que se renova, que continua a sua incessante reforma. Quantos gestos significativos: pela primeira vez um papa subiu a escada do avião carregando nas mãos a sua maleta, sem confiá-la aos seus colaboradores. Eleito papa no dia  13 de março, antes de dar a bênção apostólica ao povo, pediu que o povo invocasse para ele a bênção de Deus e se inclinou em um silêncio de adoração a Deus, de oração a Deus, mas também de profunda comunhão. Em muitos momentos recordou a presença da Igreja que nos acompanha e que conta conosco na missão de evangelizar.

O PAPA DA ESPERANÇA

Falando aos Jovens da dependência química fez um apelo: “não deixem que lhes roubem a esperança.Não roubemos a esperança dos outros. Sejamos portadores de esperança. Os jovens experimenta muitos ídolos que parecem dar esperança porém que levam a frustrações profundas. Não esqueçamos o nosso compromisso missionário de levar a Palavra de Deus à todos, sobretudo aos que mais sofrem. Precisamos trabalhar contra a sociedade do descartável e do egoísmo. Na homilia da Missa em Aparecida deixou-nos três atitudes fundamentais:
1- Conservar a esperança: porque a força de Deus é mais forte do que o mal. Tenham sempre no coração esta certeza: Deus caminha a seu lado.
2- Deixar-se surpreender por Deus: Deus sempre nos reserva o melhor e nos surpreende com o seu amor.
3- Viver na alegria: Se estivermos verdadeiramente enamorados de Cristo e sentirmos o quanto Ele nos ama, o nosso coração se “incendiará” de tal alegria que contagiará quem estiver ao nosso lado. 

“Queridos irmãos e irmãs, sejamos luzeiros de esperança! Tenhamos uma
visão positiva sobre a realidade. Encorajemos a generosidade que caracteriza os jovens, acompanhando-lhes no processo de se tornarem protagonistas da construção de um mundo melhor: eles são um motor potente para a Igreja e para a sociedade”.

MUITO OBRIGADO PAPA FRANCISCO

Pe. João Bortoloci Filho


MARIA, BATO À SUA PORTA

ORAÇÃO  DO PAPA FRANCISCO À NOSSA SENHORA APARECIDA


"Mãe Aparecida, como Vós um dia,
assim me sinto hoje diante
do vosso e meu Deus,
que nos propõe para a vida uma missão
cujos contornos e limites desconhecemos,
cujas exigências apenas vislumbramos.
Mas, em vossa fé de que
"para Deus nada é impossível",
Vós, ó Mãe, não hesitastes,
e eu não posso hesitar.

Assim, ó Mãe, como Vós,
eu abraço minha missão.
Em vossas mãos coloco minha vida
e vamos Vós-Mãe e Eu-Filho
caminhar juntos, crer juntos, lutar juntos,
vencer juntos como sempre juntos
caminhastes vosso Filho e Vós.

Mãe Aparecida,
um dia levastes vosso Filho
ao templo para O consagrar ao Pai,
para que fosse inteira disponibilidade
para a missão.
Levai-me hoje ao mesmo Pai,
consagrai-me a Ele com tudo
o que sou e com tudo o que tenho.

Mãe Aparecida,
ponho em vossas mãos,
e levai até o Pai a nossa e a vossa juventude,
a Jornada Mundial da Juventude:
quanta força, quanta vida,
quanto dinamismo brotando e explodindo
e que pode estar a serviço da vida,
da humanidade.

Finalmente, ó Mãe, vos pedimos:
permanecei aqui,
sempre acolhendo vossos filhos
e filhas peregrinos,
mas também ide conosco,
estai sempre ao nosso lado
e acompanhai na missão
a grande família dos devotos,
principalmente quando
a cruz mais nos pesar,
sustentai nossa esperança e nossa fé".