Atuar no lugar do seu dia a dia com o mundo nas mãos para fazer do mundo uma só família no amor!

"Os cristãos leigos são homens e mulheres da Igreja no coração do mundo, homens e mulheres do mundo no coração da Igreja!" (PUEBLA 789)

sábado, 27 de outubro de 2012

MISSÃO XAVERIANA NA SERRA LEOA



Capital: Freetown
Superfície: 71.740 km2 (um pouco maior da Paraíba)
População: 4,6 milhões de habitantes
Línguas: inglês, crioulo mende, limba, temne
Expectativa de vida: 40 anos
Adultos alfabetizados: 37,3%
Renda per capita: 130 dólares por ano
Religiões: islamismo 45,9%; religiões tradicionais 40,4%; cristianismo 11,5%; sem religião 2%.





A aventura africana dos Missionários Xaverianos teve seu ponto de partida na Serra Leoa. Os portugueses foram os primeiros a atingir estas terras, em busca de novos espaços e competindo com os impérios muçulmanos.
Somente no início do ano de 1600 é que chegaram missionários: os Jesuítas portugueses e os Capuchinhos espanhóis. No final do século, com o abandono destas terras por parte das potências católicas européias, as muitas comunidades cristãs voltaram às religiões tradicionais ou converteram-se ao islamismo. Em meados do século passado, recomeçou-se tudo de novo.



No ano de 1950, chegam os Xaverianos, e se estabelecem ao Norte, habitado predominantemente por muçulmanos. Mais tarde, muitos outros coirmãos uniram-se aos quatro pioneiros para trabalhar nesta terra tristemente famosa pelo comércio dos escravos e que era conhecida no ocidente como o “túmulo do homem branco”.


Durante longos anos os Xaverianos concentraram sua atividade na escola, seja como contribuição social à educação, seja como meio para anunciar o Evangelho. Empreenderam numerosas atividades no intuito de favorecer a aproximação deste povo tão cordial. Empenharam-se na promoção humana, assistiram as famílias pobres, organizaram a assistência sanitária e promoveram campanhas a caráter nacional para debelar a lepra, conquistando assim o coração do povo.











sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Primeiro ano da canonização de São Guido Maria Conforti

Estamos para celebrar o primeiro ano da canonização de São Guido Maria Conforti,  dia 23 de outubro de 2011, Dia Mundial das Missões, o Papa Bento XVI presidia, em Roma, a Celebração Eucarística de canonização do Bem-aventurado Guido José Maria Conforti, Fundador da Pia Sociedade de São Francisco Xavier para as missões estrangeiras, os Missionários Xaverianos.

São Guido Conforti tem uma mensagem clara e valiosa para a Igreja, como foi atestada pelo Cardeal Ângelo Rocalli, o Papa João XXIII, ao afirmar que “Dom Guido era o exemplo mais claro de bispo Católico, porque unia na sua pessoa o empenho de manter viva a fé em sua diocese e, ao mesmo tempo, a solicitude para todas as Igrejas”.

Disponibilizamos alguns subsídios para celebrar este momento:


Novena de São Guido Maria Conforti (Livreto) <<Baixar>>

Missa e Novena de São Guido Maria Conforti (Livreto) <<Baixar>>

Missa 05 de Novembro - São Guido Maria Conforti (Folheto) <<Baixar>>

(Obs) - Os materiais podem ser baixados e reproduzidos na quantidade desejada.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

MISSÃO XAVERIANA NO CHADE



Capital: Ndjamena
Superfície: 1.284.000 km2 (do tamanho do Pará)
População: 8,1 milhões de habitantes
Línguas: árabe e francês (oficiais), línguas regionais
Expectativa de vida: 45 anos
Adultos alfabetizados: 53.6%
Renda per capita: 230 dólares por ano
Religiões: islamismo 54%; cristianismo 34,7%; religiões tradicionais 7,3%; outras 4%.


O Chade é um país que se situa na África central. Ocupa uma área vastíssima, porém a maior parte de seu território é coberta pelo deserto do Sahara. Mesmo se tratando de uma terra árida, seu subsolo é rico em minerais preciosos. A parte cultivável produz milho, algodão e vários outros produtos, oferecendo áreas de pastagem para a criação do gado.

As indústrias são poucas. As primeiras tentativas de evangelização do Chade remontam ao século XVII, por parte de um padre Capuchinho e de um Jesuíta. Mas foi somente em 1929 que os Padres do Espírito Santo fundaram a primeira missão permanente. Mais tarde chegaram também os Jesuítas franceses e italianos. Em 1938, alguns Capuchinhos enxotados da Etiópia evangelizaram a parte meridional do País.

Há pouco mais de duas décadas, os Xaverianos se dedicam-se com empenho nesta região Centro-africana da Diocese de Pala. O trabalho missionário é intenso e profícuo, semelhante ao desenvolvido pelos Xaverianos no Norte de Camarões. É, acima de tudo, um trabalho de primeiro anúncio e de formação das comunidades cristãs. Particular atenção é dada aos catequistas e aos responsáveis pelas diversas comunidades. Na inculturação, é aplicado sobretudo o método da “transmissão oral” da doutrina, que busca a inserção do Evangelho nos vários aspectos da vida e torna a ação missionária mais próxima à sensibilidade do povo.